segunda-feira, maio 11, 2015

De um futuro em ciclo

Do passado se aprende,
mas o futuro se escolhe.
Olhamos por onde vamos
ou miramos para alcançar?

É importante resistir
à ansiedade das ilações,
resistir à ignorância
de ver a história como ciclo.
Nenhum homem é traçado num só caminho!

Seja verdade ou seja mito,
ouvi histórias de quem já morreu
após a morte d'seu próprio destino.
Não olhar ao passado
não significa que não se possa tê-lo.

Admiramos alguém
porque nos reconhecemos no seu trajeto,
ambicionando conter em nós
um personagem que nos conte essa mesma história.

José Cadima

domingo, agosto 17, 2014

"Bambi"


Um nome que, entre outras coisas, invoca um espaço comercial onde, em tempo de férias escolares, passei alguns dias da minha adolescência  a trabalhar na montagem da cúpula de uma pista de dança.

José Cadima

quarta-feira, agosto 13, 2014

"Quando eu for grande"

"O meu sonho, quando for grande, é ser analista político. Não é o máximo? Vou também ter o meu clube de ´fans` e receber imensas cartas e postais ilustrados. Só não decidi ainda se vou morar na Quinta da Marinha ou em Cascais; a seu tempo se verá.
É um trabalho bem árduo o de ´fazedor de opinião`e que deixa pouco tempo livre para outros trabalhos menos nobres, mas o paizinho acha que é muito gratificante e, além disso, permite-nos dar notas aos políticos."

J. C.

(excerto de texto originalmente publicado em 1995/05/06, no semanário Notícias do Minho)

sábado, julho 26, 2014

Joana

Joana Catarina:
um nome, uma memória,
uma ferida que não sara;
uma vida esgotada em sete anos;
uma dor imensa que persiste, abafada,
latente, nunca superada;
um luto de 10 anos, mal conseguido;
uma tragédia que arrastou outras.
Caminhar, apesar de tudo.
Caminhar...
Filhos? Sim, tenho!
Antes destes tive uma filha que perdi cedo
e me deixou por aqui, agonizante,
percorrendo um caminho que me é penoso, tantas vezes.

José Cadima

sexta-feira, julho 25, 2014

Flores

Que lindas flores!
Obrigada.

C.P.

Silêncio

Há ocasiões em que só o silêncio nos resta. Gritar a nossa fúria, torna-nos fracos.
O silêncio tem a força da eternidade.

K